FEIRA DO LIVRO DO PORTO, 2017

Na próxima 6ª feira, dia 15 de Setembro às 22h, estarei na Feira do Livro do Porto, no espaço da Chiado, para uma Sessão de Autógrafos. Conto com vocês!!!! Até lá!!!!

IMG_4068

Anúncios

Cosmic Love

neste cosmos sem fim

na serenidade da escolha que agora faço

 na profundidade do céu estrelado

encontro-me em ti, em nós

saboreio a magnificência do amor, que nos envolve que nos acolhe, que nos aconchega 

nos teus braços adormeço sem medo de não acordar

em ti a alma dilui-se e nada mais sou,

 nada mais quero ser…

submergindo naquilo que somos, deixo-me viajar pelas partículas cósmicas que me revelam o maior dos segredos, AMAR

e viajo nesse inocente Amor que na pureza celeste me recorda de “Casa”

danço, cronometrando todos os movimentos dos nossos corpos, perdendo-me na chuva estrelar neste bailado etérico que juntos provocamos

E assim é Amar

E assim é o Amor

E assim se faz festa no céu

E assim festejamos na Terra

cos

 

…essa ternura…

flashes desenfreados
ilustram este sonho quando acordada,
trespassando todos os meus corpos, que delírio!!!

fomos nós que nos “desenhamos” um ao outro…
abençoado universo,
abençoada vida,
“milagres” por nós conseguidos quando não cedemos…

o despertar do que deixa de ser misterioso, é a verdadeira alucinação para a minha acelerada personalidade

e finalmente as virgulas reaparecem em mim, desacelerando o tempo, que agora pauta a minha Existência.

essa ternura com que os teus olhos me envolvem,
aumentam a minha timidez por tanto me despires…
e um salto quântico é dado quando me deixo viajar em ti… em nós… através D’ELE

sentir-nos, sentir quem nos sente desbrava a poeira,
ilumina o momento,
incendeia os corpos,
ressuscita as almas,
ilustra a galáxia…
com outros sons,
com outras cores,
com outra genuinidade.

fo

…essa ternura…

Unbridled flashes,
Illustrate this dream, when awakened
Trespassing all my bodies
What a delirium !!!
It was us who “drew” each other …

Blessed universe,
Blessed life,
“Miracles” we get when we do not give up.

The awakening of what is no longer mysterious,
Is the true hallucination for my accelerated personality
And finally the commas reappear in me,
Decelerating time, which now guides my Existence.

This tenderness with which your eyes involve me, increase my shyness because you undress me so much…
And a quantum leap is given when I let myself travel in you … in us … through God

Feel us, feel who we feel
Shatters the dust,
Illuminates the moment,
Fire the bodies,
Resurrects the souls,
Illustrates the galaxy, with other sounds,
With other colors,
With another Authenticity.

FullSizeRender
Porto – Portugal

“Entre o Sono e o Sonho”

Está a chegar ao mercado a Antologia de Poesia Portuguesa Contemporânea e com ela, o “Química que Corre” inspirado por mim.

O poema Química que Corre é uma secreta viagem pelos tímidos sentidos de uma mulher na intimidade do Amor.

É o VIII volume da obra “Entre o Sono e o Sonho”  e abarca um número significativo de poetas contemporâneos. Será o Evento Poético do Ano em Portugal, onde irá ser apresentado ao público uma obra que perdurará como um dos mais arrojados objectos de poesia publicados no nosso país.

O lançamento está previsto para o próximo mês de Setembro, em Lisboa, com várias posteriores apresentações,  entre elas,  na Feira do Livro de Lisboa e na Bienal do Livro de São Paulo.

chiado-editora-antologia_orig

 

Always grateful

“Meu” Amor, que os meus sentidos e a minha personalidade se percam sempre que estiver na tua presença. E sem identificação do que penso Ser, chego a ti neste Agora, através do que a minha Alma te quer sussurrar… Sentes a musica que embala o amor que nos une?… Sentes a nossa essência a tocar na mais elevada vibração a que nos permitimos?… Sentes-nos totalmente despidos de quem somos para sermos?

Tocar na perfeição da imperfeição da vida na Terra é a certeza da ilusão do que o nosso físico acredita ser uma verdade. Nem nas minhas maiores inspirações desenharia tão belo cenário… anestesiada estou pela chegada a “casa” depois de tão profunda permanência num deserto que me fez aumentar a sede e me ensinou a viver sem indelicadeza. Observo-me a contracenar com o mesmo de outrora, mas momentaneamente estagnada nos pensamentos, no tempo que nos controla, no mundo de azáfama que me rodeia… Magnifico constatar, uma vez mais, como é viver na “selva”, na frequência do Amor que tudo pode, que Tudo é…  ELE EU SOU e agradecida estou por toda a total Presença em todos os meus Agoras, que me fazem flutuar ao som deste hino em que todas as notas me inspiram em Tudo tocar, nesta simplicidade que me permito viver.

Lado a lado respeitando o que cada um de nós É, inspiro e expiro o mais puro ar que o nosso reencontro me fez recordar e brindo aos céus em completa nudez por momentos tão singulares quanto este…

Abençoados somos por aqui estarmos, a evidenciar o quanto permanecer no total vazio, na misteriosa Fé nos pode presentear…

 Neste Todo que nos conecta, termino uma etapa e inicio em total vigília um novo começo, que há muito estava esboçado e que agora se solidificou. Continuo a aprendizagem com este físico agregado, nunca descurando o que nos rodeia…

Em Amor a ti cheguei, em Amor permanecerei, linda Alma que me segredaste e a ti me levaste…

“Blessed we are for being here, the two of us, souls dancing the dance of Life and learning the true meaning of UNCONDITIONAL LOVE… Always grateful”

osg

Sopro de bolas de sabão

No vasto Universo em que navegamos desde o sopro da
Criação diverte-se agora a minha Alma com bolas de sabão.
E neste contexto Humano em que no momento habito
percorro o tempo ilusório adaptando-me à realidade não
existencial.
Procuro a criança em mim que à uma eternidade que não
a sinto, com vestes e mais vestes vou actuando sem recordar
a leveza e a libertação de ser menina.
As raízes de tristeza e sofrimento de outrora, acompanham-me
no único percurso real onde vou experienciando
a dualidade.
Já não sabendo o que é ser feliz com os entretenimentos
humanos limito-me a uma existência solitária em que o caminho
só pode ser um, a união com o Todo. E é no Agora
no movimento de respiração, consciente da Divina Presença
que sou que reencontro a Paz de que tudo reflecte à dimensão
da proporção do Amor que tenho a capacidade de vibrar.
A compreensão deste Puro sentimento, livre de qualquer
tipo de apego, livre de qualquer pensamento mundano, livre
das fraquezas próprias da raça, chegarei sem corpo e sem
teias… Das correntes me libertarei com a leveza do significado
de quem somos e para onde vamos.
O objectivo será alcançado e flutuarei na imensidão de
lençóis vibracionais tão sublimes e celestes que habitam a
eternidade.

bolas